O cigarro eletrônico causa alterações nos pulmões muito semelhantes às do tabaco

Quarta-feira, 2 de outubro de 2013.-O cigarro eletrônico pode causar alterações nos pulmões a curto prazo muito semelhantes às do tabaco, de acordo com a Área de fumantes da Sociedade Espanhola de Pneumologia e Cirurgia Torácica (SEPAR).

Como esta sociedade expõe, há cada vez mais pessoas que usam cigarros eletrônicos "como um método para parar ou substituir o tabaco". No entanto, ele adverte, os profissionais de saúde "não o recomendam, nem o aprovam na ausência de evidências científicas para provar que são eficazes e seguros a longo prazo".

Não é de surpreender, argumenta a SEPAR, que o cigarro eletrônico "contém substâncias idênticas às transportadas pelo cigarro convencional", além de seus efeitos a longo prazo "serem desconhecidos". De qualquer forma, "eles podem ser potencialmente adversos e merecedores de uma investigação profunda".

Isto é afirmado pelo diretor deste departamento da Separ, Dr. Segismundo Solano, que acrescenta que os banheiros "ainda não conhecem todos os efeitos da inalação dos ingredientes desses cigarros". Para isso, devemos acrescentar que eles exigem uma forte aspiração, para que os usuários diários "possam realizar uma média de 120 a 150 inalações por meses e anos", diz ele.
Danos à Saúde
Aprofundando a pesquisa realizada, o pneumologista mostra dados de um estudo que avaliou o impacto do uso desse cigarro na função pulmonar, por 10 minutos, em pacientes não fumantes e em fumantes saudáveis ​​ou com patologia com obstrução crônica das vias aéreas.

Assim, verificou-se que o cigarro eletrônico "imediatamente aumentou a resistência das vias aéreas e diminuiu sua potência condutora através dela", diz Solano. Além disso, o efeito foi maior no grupo de não fumantes e fumantes saudáveis.

Por seu lado, a revista especializada 'American Journal of Preventive Medicine' publicou este ano um trabalho realizado no Reino Unido, Austrália, Canadá e Estados Unidos que determina que os jovens "são os que mais consomem e têm mais conhecimento sobre esses novos dispositivos. "ele declara.

Especificamente, confirma que 79, 8% relataram que usavam cigarro eletrônico porque o consideravam menos prejudicial do que o cigarro tradicional. Além disso, 75, 4% disseram que os usaram para ajudar a reduzir o uso de tabaco, enquanto 85, 1% o fizeram para parar.

Atualmente, não há regulamentação para a venda deste produto na Espanha, exceto para menores. No entanto, em outros países, como Austrália e Canadá, sua venda foi completamente proibida.
Fonte: www.DiarioSalud.net Etiquetas:  Bem estar Família Notícia 

Artigos Interessantes

add