Morre por falta de atividade física

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014. - A falta de atividade física ou estilo de vida sedentário já é o quarto fator de risco para mortalidade global, atrás apenas de hipertensão, consumo de tabaco e altos níveis de açúcar no sangue, segundo dados da Organização A Saúde Mundial (OMS), que estima que 6% de todas as mortes anuais, cerca de 3, 2 milhões de mortes, ocorrem porque não são ativas o suficiente.

Isto é afirmado por esta agência das Nações Unidas, que lamenta que o estilo de vida sedentário esteja aumentando em muitos países e, com isso, o risco de desenvolver doenças não transmissíveis, como doenças cardiovasculares, câncer ou diabetes. Não é de surpreender que seja a principal causa de 21 a 25% dos casos de câncer de mama e colorretal, 27% dos casos de diabetes e 30% das doenças cardíacas.
Especificamente, a OMS estabelece que um adulto deve ter pelo menos 150 minutos de atividade física moderada por semana, considerando qualquer movimento corporal que exija gasto de energia e inclui as duas atividades que podem ser realizadas durante a jornada de trabalho, lazer, atividades domésticas, viagens, etc.
No caso de crianças e adolescentes, a recomendação é reduzida para pelo menos 60 minutos de atividade física. Dessa forma, e independentemente da quantidade de atividade física realizada e de sua intensidade, capacidade muscular e cardiorrespiratória, saúde óssea, risco de hipertensão, risco de quedas e fraturas, etc., pode ser melhorada.
O problema, eles apontam, é que 31% das pessoas acima de 15 anos não estão ativas o suficiente (28% no caso de homens e 34% de mulheres), segundo dados de 2008. Quando os dados concentram-se apenas em países de alta renda, a porcentagem de sedentários ou inativos aumenta para 41% dos homens e 48% das mulheres, o dobro do que nos países menos desenvolvidos (18% dos homens, 21% de mulheres).
E as conseqüências dessa inatividade se traduzem em um risco aumentado de morte. Segundo a OMS, de ter pelo menos 30 minutos de atividade física moderada quase todos os dias para não ter nada, o risco de mortalidade aumenta entre 20 e 30 por cento.
Para combater essas deficiências, no ano passado, os Estados Membros da OMS concordaram em reduzir as taxas sedentárias em 10% até 2025, principalmente promovendo a atividade física na educação e no trabalho, por meio de mais e melhores instalações esportivas e promovendo acesso a meios de transporte mais ativos, como o ciclismo. No entanto, lamentam que apenas 80% desses países tenham desenvolvido políticas ou planos de ação para alcançar esse objetivo, dos quais apenas metade (56%) os implementou.
Fonte: www.DiarioSalud.net Etiquetas:  Bem estar Família Glossário 

Artigos Interessantes

add