Eles descobrem e desmontam a "armadura" que protege o câncer de pâncreas

Quinta-feira, 1 de maio de 2014.- O câncer de pâncreas é notoriamente refratário aos tratamentos e resiste à quimioterapia e à radioterapia. Ele também contém poucos elementos que podem ser um alvo para as células do sistema imunológico, o que leva ao crescimento de tumores sem resistência.

A situação pode mudar em um futuro não muito distante, graças a novas pesquisas, da equipe de Sunil Hingorani, Ingunn Stromnes e Philip Greenberg, da Divisão de Pesquisa Clínica do Fred Hutchinson Cancer Research Center, em Seattle, Washington, Estados Unidos. Unidos.
Este estudo descobriu que o câncer de pâncreas está oculto no sistema imunológico através da estratégia de recrutamento de células imunossupressoras especializadas, chamadas Gr-MDSCs. Os tumores pancreáticos atingem o acúmulo dessas células supressoras liberando uma proteína conhecida como GM-CSF, que atrai os Gr-MDSCs.
As experiências da nova investigação permitiram verificar se os Gr-MDSCs trabalham ativamente contra as células T, uma classe de células do sistema imunológico que são vitais para muitas táticas de imunoterapia. As células T são frequentemente usadas para combater tumores, pois podem reconhecer moléculas muito específicas e destruir todas as células que expressam essas moléculas. Mas Gr-MDSCs impedem a divisão de células T e são capazes de induzir a morte celular.
A equipe de pesquisa descobriu que, reduzindo drasticamente os Gr-MDSCs, esse efeito pode ser revertido, o que permite que as células T recuperem sua força de combate. Quando os pesquisadores causaram essa redução, observou-se que as células T não apenas conseguiram entrar nos tumores, mas também atacaram as células tumorais sem rodeios, como evidenciado pela detecção do dano celular característico produzido por esses linfócitos. Em outras palavras, existe uma resposta imune latente contra o câncer de pâncreas que pode ser expressa se os obstáculos que o impedem forem removidos.
A equipe de pesquisa está trabalhando para desenvolver uma terapia usando células T com base em descobertas recentes. Hingorani e seus colegas planejam testar sua estratégia em combinação com imunoterapia e quimioterapia, a fim de determinar quais são os tipos mais fulminantes de ataque combinado contra o câncer de pâncreas.
Fonte: www.DiarioSalud.net Etiquetas:  Bem estar Sexo Regeneração 

Artigos Interessantes

add